Tag Archives: Mundo Fantasma

Crónicas de Arquitectura

image

Crónicas de Arquitectura, exposição de banda desenhada de Pedro Burgos para ver na Mundo Fantasma, entre 9 de Março e 11 de Abril.

Recortes: Diário Rasgado


Marco Mendes
Diário Rasgado
Mundo Fantasma/ Turbina

Diário Rasgado situa a sua construção no domínio da autobiografia, esse terreno algo instável onde convivem a hipótese de encenação de episódios e experiências oriundas do quotidiano do autor e uma inevitável respiração ficcional. Sobre as fronteiras possíveis entre as duas coisas não cabe aqui falar, ainda que um certo voyeurismo possa desafiar a vontade de o fazer, porque não é esse o espaço que a leitura cria na sua relação com a obra. Mais do que sugerir a especulação sobre a veracidade do que se regista neste Diário, o que a narrativa convoca é a individualidade de um olhar, um modo de ver particular que assenta no registo do quotidiano e na fuga pontual a esse registo a partir de projecções, desejos, deslocações do ritmo imposto pelos episódios curtos e pelas pranchas com pouca cor. Muitos dos episódios aqui reunidos já foram publicados em fanzines, edições de circulação restrita e outros espaços editoriais pouco favoráveis à leitura massificada. A sua reunião em livro permite, agora, que um público mais vasto contacte com o trabalho de um autor contemporâneo essencial no que toca à criação nacional de banda desenhada e ao cruzamento de influências, discursos e percursos narrativos e criativos que marcam essa mesma criação.

O discurso autobiográfico não sobressai tanto pela narrativa sobre si próprio, mas antes pelo olhar desencantado sobre um quotidiano que nunca oferece uma hipótese de se superar, mostrando-se condenado a uma sucessão de pequenos fracassos, perdas irreparáveis e uma inclinação constante para a melancolia. Marco Mendes inventa uma espécie de spleen portuense, muito longe da movida da moda que tantas vezes traz a Invicta para as páginas das revistas e muito mais próximo de um certo modo de olhar o mundo, pouco luminoso e mais povoado de umbrais de portas, bancos de jardim e cigarros partilhados do que de discotecas fulgurantes ou andanças boémias. É aqui que se deslinda a denúncia que o livro acaba por construir, mesmo que nunca recorrendo a um discurso contestatário ou sequer marcadamente político, e que passa pela constatação de que o futuro reservado para o trio que partilha uma casa, e onde se inclui o autor/personagem, é continuar exactamente no mesmo sítio – e esta é a visão optimista, porque a verdade é que tudo pode piorar. Ora, sem que qualquer analogia seja convocada pelo discurso do livro, não é difícil ver em Diário Rasgado o retrato quotidiano de uma certa geração, precária no que toca ao emprego, com poucas hipóteses de estender o consumo a mais do que as despesas fixas e um ou outro vício e sem perspectivas de futuro. Se isto é a autobiografia de um autor, não é difícil que seja também um pouco da auto-ficção que todos vamos construindo diariamente.

Sara Figueiredo Costa
(publicado na Ler, nº116, Set. 2012)

Diário Rasgado 2007-2012

Amanhã, pelas 17h00, a livraria Mundo Fantasma acolhe o lançamento de Diário Rasgado 2007-2012, de Marco Mendes (edição Turbina Associação Cultural/Mundo Fantasma).

12h Comic Day na Mundo Fantasma

Amanhã, na Mundo Fantasma:

O que é o (24) 12-Hour Comics Day?
É um evento realizado um pouco por todo o Mundo que desafia argumentistas e desenhadores para criarem um comic de 24 páginas em 24 horas consecutivas. A nossa versão é um pouco menos exigente por ser uma primeira experiência e para garantir que o comic é publicado imediatamente: criar uma história de 12 páginas em 12 horas consecutivas.

Como posso participar?
Basta enviar-nos um e-mail para livraria@mundofantasma.com, com os seus dados e um link para alguns exemplos do seu trabalho. Se seleccionado, aparecer.

O que significa criar uma história em 12 horas? / Significa criar tudo: o texto, a arte, a arte final, cor, balonagem, revisão… tudo. Mal a caneta toque no papel ou no computador, o relógio começa a contar. Não é permitida nenhuma preparação prévia que inclui sketches, layouts, resumo de argumento… mas pode-se planear indirectamente, organizando os materiais, referências, música, comida… Cada autor deve trazer todo o material que acha que vai necessitar.

Em que formato?
As folhas não devem ser menores que A4. As folhas devem ser da proporção do A4. O trabalho pode ser a cores ou a preto e branco. Com ou sem balões.

Em que horas?
Das 10h00 às 22h00 do dia 10 de Dezembro de 2011. As horas são contínuas. Pode interromper para almoçar, mas o relógio continua. Se no fim das 12 horas a história não estiver terminada, ou utiliza a variante de Gaiman e termina como está, ou utiliza a variante de Eastman, continuando até estar pronto. São variantes que representam uma falha nobre e dentro do espírito. O importante é que tenha realmente a intenção de terminar nas 12 horas disponíveis.

Onde?
Na livraria Mundo Fantasma. Parte do dia será em mesas no corredor pois haverá também a inauguração de uma exposição (de Jorge Mateus) e lançamento de dois livros (“Mahou” de Hugo Teixeira e “Mr. Klunk e o Senhor Klaxon” de Paulo Azevedo e Jorge Matos.

Para quê?
A intenção é editar uma publicação com as histórias nos dias seguintes ao evento. Para isso cada autor compromete-se a comprar 10 exemplares (eventualmente 3,00€ x 10 = 30,00€), esse é o preço da inscrição. A tiragem será de 200 exemplares e a livraria Mundo Fantasma assegura o restante da edição. Também oferecemos um jantar rápido num dos cafés do Brasília (Brasília 3).

Há letrinhas pequenas?
São do mesmo tamanho… na publicação a capa e a ordem das histórias irá obedecer a critérios de edição subjectivos da livraria. A apresentação dos autores na capa, na contracapa ou no interior será por ordem alfabética do último nome. Histórias incompletas não serão publicadas. Se o custo de impressão for de 3,00€, o preço de venda será 5,99€ O evento nestas condições está limitado a 10 autores.

O 24-Hour Comics Day original foi criado por Scott McCloud.

O desenho é do Rudolfo da Silva.

Memórias Topográficas

No próximo dia 16, pelas 17h00, a galeria da Mundo Fantasma inaugura a exposição Memórias Topográficas, de Diniz Conefrey. Para visitar no Shopping Center Brasília, Avenida da Boavista, 267, 1º. Andar, Loja 509/510, no Porto.

Fábio Moon e Gabriel Bá na Mundo Fantasma

A Mundo Fantasma inaugura hoje, pelas 17h, uma exposição de originais de Fábio Moon e Gabriel Bá, com a presença dos autores. Depois da passagem por Beja, a dupla brasileira chega agora ao Porto e estará disponível para trocar dois dedos de conversa com os leitores que por lá aparecerem.

Pedro Brito e João Fazenda

A GALERIA MUNDO FANTASMA, a GESTO COOPERATIVA CULTURAL e a CASA DA ANIMAÇÃO organizam um conjunto de iniciativas à volta da Banda Desenhada, do Cinema de Animação e da Ilustração, com os autores João Fazenda e Pedro Brito.

Na GALERIA MUNDO FANTASMA poderemos ver pranchas de bd destes dois autores oriundas das obras Pano Cru (Brito) e Loverboy (Fazenda), mas também Tu és a mulher da minha vida, ela a mulher dos meus sonhos (de ambos). A inauguração será no próximo dia 30 de Janeiro pelas 17h00, com a presença dos autores.

Na mesma noite, pelas 22h00, na CASA DA ANIMAÇÃO serão exibidos alguns filmes de animação dos mesmos autores: entre outras, A Estrela de Gaspar e Sem dúvida, amanhã (de Brito) ou Algo Importante (de Fazenda e João Paulo Cotrim). Segue-se uma conversa com os autores.

E imediatamente a seguir (pelas 23h30) a GESTO COOPERATIVA CULTURAL inaugura uma exposição do premiado ilustrador João Fazenda (Ler, Público).

A iniciativa conjunta das três entidades permite conhecer diferentes facetas de dois jovens autores nacionais, e lança luz sobre pontos de contacto entre as suas diferentes facetas artísticas.

Osvaldo Medina na Mundo Fantasma

Na galeria da Mundo Fantasma, no Porto, está patente uma exposição de originais de Osvaldo Medina, desenhador dos livros A Fórmula da Felicidade (com Nuno Duarte e Ana Freitas) e Mucha (com David Soares e Mário Freitas), ambos editados pela Kingpin Books.

(uma das pranchas de Mucha)