Tag Archives: Mundo Fantasma

Crónicas de Arquitectura

image

Crónicas de Arquitectura, exposição de banda desenhada de Pedro Burgos para ver na Mundo Fantasma, entre 9 de Março e 11 de Abril.

Recortes: Diário Rasgado


Marco Mendes
Diário Rasgado
Mundo Fantasma/ Turbina

Diário Rasgado situa a sua construção no domínio da autobiografia, esse terreno algo instável onde convivem a hipótese de encenação de episódios e experiências oriundas do quotidiano do autor e uma inevitável respiração ficcional. Sobre as fronteiras possíveis entre as duas coisas não cabe aqui falar, ainda que um certo voyeurismo possa desafiar a vontade de o fazer, porque não é esse o espaço que a leitura cria na sua relação com a obra. Mais do que sugerir a especulação sobre a veracidade do que se regista neste Diário, o que a narrativa convoca é a individualidade de um olhar, um modo de ver particular que assenta no registo do quotidiano e na fuga pontual a esse registo a partir de projecções, desejos, deslocações do ritmo imposto pelos episódios curtos e pelas pranchas com pouca cor. Muitos dos episódios aqui reunidos já foram publicados em fanzines, edições de circulação restrita e outros espaços editoriais pouco favoráveis à leitura massificada. A sua reunião em livro permite, agora, que um público mais vasto contacte com o trabalho de um autor contemporâneo essencial no que toca à criação nacional de banda desenhada e ao cruzamento de influências, discursos e percursos narrativos e criativos que marcam essa mesma criação.

O discurso autobiográfico não sobressai tanto pela narrativa sobre si próprio, mas antes pelo olhar desencantado sobre um quotidiano que nunca oferece uma hipótese de se superar, mostrando-se condenado a uma sucessão de pequenos fracassos, perdas irreparáveis e uma inclinação constante para a melancolia. Marco Mendes inventa uma espécie de spleen portuense, muito longe da movida da moda que tantas vezes traz a Invicta para as páginas das revistas e muito mais próximo de um certo modo de olhar o mundo, pouco luminoso e mais povoado de umbrais de portas, bancos de jardim e cigarros partilhados do que de discotecas fulgurantes ou andanças boémias. É aqui que se deslinda a denúncia que o livro acaba por construir, mesmo que nunca recorrendo a um discurso contestatário ou sequer marcadamente político, e que passa pela constatação de que o futuro reservado para o trio que partilha uma casa, e onde se inclui o autor/personagem, é continuar exactamente no mesmo sítio – e esta é a visão optimista, porque a verdade é que tudo pode piorar. Ora, sem que qualquer analogia seja convocada pelo discurso do livro, não é difícil ver em Diário Rasgado o retrato quotidiano de uma certa geração, precária no que toca ao emprego, com poucas hipóteses de estender o consumo a mais do que as despesas fixas e um ou outro vício e sem perspectivas de futuro. Se isto é a autobiografia de um autor, não é difícil que seja também um pouco da auto-ficção que todos vamos construindo diariamente.

Sara Figueiredo Costa
(publicado na Ler, nº116, Set. 2012)

Diário Rasgado 2007-2012

Amanhã, pelas 17h00, a livraria Mundo Fantasma acolhe o lançamento de Diário Rasgado 2007-2012, de Marco Mendes (edição Turbina Associação Cultural/Mundo Fantasma).

12h Comic Day na Mundo Fantasma

Amanhã, na Mundo Fantasma:

O que é o (24) 12-Hour Comics Day?
É um evento realizado um pouco por todo o Mundo que desafia argumentistas e desenhadores para criarem um comic de 24 páginas em 24 horas consecutivas. A nossa versão é um pouco menos exigente por ser uma primeira experiência e para garantir que o comic é publicado imediatamente: criar uma história de 12 páginas em 12 horas consecutivas.

Como posso participar?
Basta enviar-nos um e-mail para livraria@mundofantasma.com, com os seus dados e um link para alguns exemplos do seu trabalho. Se seleccionado, aparecer.

O que significa criar uma história em 12 horas? / Significa criar tudo: o texto, a arte, a arte final, cor, balonagem, revisão… tudo. Mal a caneta toque no papel ou no computador, o relógio começa a contar. Não é permitida nenhuma preparação prévia que inclui sketches, layouts, resumo de argumento… mas pode-se planear indirectamente, organizando os materiais, referências, música, comida… Cada autor deve trazer todo o material que acha que vai necessitar.

Em que formato?
As folhas não devem ser menores que A4. As folhas devem ser da proporção do A4. O trabalho pode ser a cores ou a preto e branco. Com ou sem balões.

Em que horas?
Das 10h00 às 22h00 do dia 10 de Dezembro de 2011. As horas são contínuas. Pode interromper para almoçar, mas o relógio continua. Se no fim das 12 horas a história não estiver terminada, ou utiliza a variante de Gaiman e termina como está, ou utiliza a variante de Eastman, continuando até estar pronto. São variantes que representam uma falha nobre e dentro do espírito. O importante é que tenha realmente a intenção de terminar nas 12 horas disponíveis.

Onde?
Na livraria Mundo Fantasma. Parte do dia será em mesas no corredor pois haverá também a inauguração de uma exposição (de Jorge Mateus) e lançamento de dois livros (“Mahou” de Hugo Teixeira e “Mr. Klunk e o Senhor Klaxon” de Paulo Azevedo e Jorge Matos.

Para quê?
A intenção é editar uma publicação com as histórias nos dias seguintes ao evento. Para isso cada autor compromete-se a comprar 10 exemplares (eventualmente 3,00€ x 10 = 30,00€), esse é o preço da inscrição. A tiragem será de 200 exemplares e a livraria Mundo Fantasma assegura o restante da edição. Também oferecemos um jantar rápido num dos cafés do Brasília (Brasília 3).

Há letrinhas pequenas?
São do mesmo tamanho… na publicação a capa e a ordem das histórias irá obedecer a critérios de edição subjectivos da livraria. A apresentação dos autores na capa, na contracapa ou no interior será por ordem alfabética do último nome. Histórias incompletas não serão publicadas. Se o custo de impressão for de 3,00€, o preço de venda será 5,99€ O evento nestas condições está limitado a 10 autores.

O 24-Hour Comics Day original foi criado por Scott McCloud.

O desenho é do Rudolfo da Silva.

Memórias Topográficas

No próximo dia 16, pelas 17h00, a galeria da Mundo Fantasma inaugura a exposição Memórias Topográficas, de Diniz Conefrey. Para visitar no Shopping Center Brasília, Avenida da Boavista, 267, 1º. Andar, Loja 509/510, no Porto.

Fábio Moon e Gabriel Bá na Mundo Fantasma

A Mundo Fantasma inaugura hoje, pelas 17h, uma exposição de originais de Fábio Moon e Gabriel Bá, com a presença dos autores. Depois da passagem por Beja, a dupla brasileira chega agora ao Porto e estará disponível para trocar dois dedos de conversa com os leitores que por lá aparecerem.

Pedro Brito e João Fazenda

A GALERIA MUNDO FANTASMA, a GESTO COOPERATIVA CULTURAL e a CASA DA ANIMAÇÃO organizam um conjunto de iniciativas à volta da Banda Desenhada, do Cinema de Animação e da Ilustração, com os autores João Fazenda e Pedro Brito.

Na GALERIA MUNDO FANTASMA poderemos ver pranchas de bd destes dois autores oriundas das obras Pano Cru (Brito) e Loverboy (Fazenda), mas também Tu és a mulher da minha vida, ela a mulher dos meus sonhos (de ambos). A inauguração será no próximo dia 30 de Janeiro pelas 17h00, com a presença dos autores.

Na mesma noite, pelas 22h00, na CASA DA ANIMAÇÃO serão exibidos alguns filmes de animação dos mesmos autores: entre outras, A Estrela de Gaspar e Sem dúvida, amanhã (de Brito) ou Algo Importante (de Fazenda e João Paulo Cotrim). Segue-se uma conversa com os autores.

E imediatamente a seguir (pelas 23h30) a GESTO COOPERATIVA CULTURAL inaugura uma exposição do premiado ilustrador João Fazenda (Ler, Público).

A iniciativa conjunta das três entidades permite conhecer diferentes facetas de dois jovens autores nacionais, e lança luz sobre pontos de contacto entre as suas diferentes facetas artísticas.