Monthly Archives: Outubro 2011

Prémios Amadora BD 2011: os vencedores

Melhor álbum Português
O Amor Infinito que te Tenho e outras histórias, Paulo Monteiro (Polvo)

Melhor Argumento de Autor Português
Eternus 9 – A Cidade dos Espelhos, Victor Mesquita (Gradiva)

Melhor Desenho de Autor Português
Newborn 10 Dias no Kosovo, Ricardo Cabral (ASA)

Melhor Álbum de Autor Português em Língua Estrangeira
Agencia de Viajes Leming, José Carlos Fernandes (Astiberri)

Melhor Álbum Estrangeiro editado em Portugal
Blacksad – O Inferno, o Silêncio, Guarnido e Diaz Canales (ASA)

Melhor Álbum de Tiras Humorísticas
Happy Sex, ZEP (ASA)

Melhor Ilustração de Livro Infantil
O Lobo Prateado, Ana Afonso (Editorial Caminho)

Fanzine
Venham+5 (nº8), VVAA (coordenação de Paulo Monteiro) (Câmara Municipal de Beja/Bedeteca de Beja)

Prémio Juventude
Newborn – 10 Dias no Kosovo, Ricardo Cabral (ASA)

Troféu de Honra
Zé Manel

Prémios Amadora BD

Amanhã, pelas 18h30, no auditório dos Recreios da Amadora, conhecem-se os vencedores dos Prémios de Banda Desenhada deste ano.

1001 Comics You Must Read Before You Die

Na longa lista que compõe 1001 Comics You Must Read Before You Die, de Paul Gravett, trabalho que contou com a colaboração de vários investigadores, nomeadamente os portugueses Domingos Isabelinho e Pedro Moura, inclui-se O Diário de K., de Filipe Abranches (Polvo). O facto é relevante, não tanto pela vertente ‘patrioteira’, mas sobretudo porque pode ajudar a divulgar o que de melhor se vai fazendo no nosso panorama. Consulte-se o site de Paul Gravett para uma ideia das obras incluídas, enquanto não se põe os olhos no livro propriamente dito.

Prémios Stuart

Com o cartoon que se reproduz acima, originalmente publicado no Diário de Notícias, André Carilho venceu a edição de 2011 do Prémio Stuart de Desenho de Imprensa. Na categoria de Ilustração, a vencedora foi Susa Monteiro com um trabalho sobre Manuel da Fonseca, publicado no Diário do Alentejo. O Cartoon distinguiu Luís Veloso, com um trabalho sobre a crise publicado no jornal O Interior.

(via Diário de Notícias)

Amadora BD: O Pequeno Deus Cego

Daqui a pouco, às 15h30, o Amadora BD recebe a apresentação do livro O Pequeno Deus Cego, de David Soares e Pedro Serpa (edição Kingpin Books).

Visita do Dia

O site do ilustrador Micah Lidberg.

(SM)

Amadora BD

(cartaz com desenho de Filipe Andrade e design do GBNT)

A edição de 2011 do Amadora BD tem inauguração marcada para o próximo dia 21, sexta-feira. Até ao dia 6 de Novembro, há exposições espalhadas por vários equipamentos da cidade, para além de debates, apresentações, workshops e cinema. A programação completa aparecerá aqui nos próximos dias.

Planeta Tangerina candidata ao ALMA

Ontem, na Feira de Frankfurt, soube-se que a editora Planeta Tangerina integra a lista de candidatos ao prémio sueco Astrid Lindgren Memorial Award (ALMA) 2012. A lista de candidatos pode ser consultada aqui (e há projectos, autores e iniciativas de muito valor entre os 184 nomeados, mas nós vamos estar a torcer pelos citrinos).

Novidades Everest

Margarida Fonseca Santos e Richard Câmara, Conversa de Elefantes

No blog do ilustrador, Richard Câmara, podem ver-se algumas imagens relacionadas com o trabalho que fez para este livro (aqui).

Afinal, são dois livros

Já aqui se tinha anunciado a escolha de um livro de Afonso Cruz para a Lista de Honra do IBBY, mas a notícia era só metade da notícia (e com isto se confirma que a atenção, mesmo quando se trata de simples comunicados que divulgam um facto linear, é sempre essencial). Afinal, foram dois os livros portugueses escolhidos para a Lista de Honra do IBBY, tal como ja aconteceu em 2010: o de Afonso Cruz na categoria ‘Escrita’, e um outro na categoria ‘Ilustração’. Esse outro, que infelizmente passou despercebido, é Depressa, Devagar, de Isabel Minhós Martins e Bernardo Carvalho, uma edição da Planeta Tangerina (que chegará ao Brasil no próximo ano, como se pode ler no blog da editora). Fica a correcção feita.

Afonso Cruz na Lista de Honra do IBBY

O livro A Contradição Humana (Caminho), de Afonso Cruz, foi seleccionado para a Lista de Honra do International Board on Books for Young People.

A Lista de Honra do IBBY (International Board on Books for Young People) é uma seleção bienal de livros notáveis para crianças e jovens recentemente publicados. Homenageia escritores, ilustradores e tradutores dos países membros do IBBY, organização internacional presente em setenta países de todos os continentes. Os títulos nomeados são selecionados pelas Secções Nacionais. A lista completa é publicada em livro, e sete exposições dos livros circulam simultaneamente por todo o mundo.

Recortes: Milt Gross, Ele Foi Mau Para Ela, Libri Impressi

Quando Milt Gross desenhou as pranchas de Ele Foi Mau Para Ela, o seu nome já era bem conhecido no espaço que a imprensa norte-americana dedicava à banda desenhada e aos textos humorísticos, sobretudo pela acutilância do registo cómico, mas igualmente pela utilização de um idiolecto próprio que pretendia caracterizar o modo de falar dos imigrantes de origem judaica, em Gross Exaggerations, ou os bebés e respectivos familiares embevecidos, em Nize Baby. Publicado em 1930, o livro que agora encontra tradução portuguesa pela acção sempre atenta do editor Manuel Caldas foi apresentado como “o grande romance americano, e sem uma só palavra”, epíteto que diz tanto sobre o conteúdo da narrativa como sobre a vontade de ironizar de Gross.

A narrativa de Ele Foi Mau Para Ela acompanha os dissabores de uma jovem corista apaixonada por um homem anormalmente forte que a salva dos assédios da clientela que frequenta o seu local de trabalho e enganada por um ricaço que pretende casar-se com ela a todo o custo. A comédia de enganos, o humor em torno da força exagerada do herói e a velocidade dos gags, a lembrarem alguns dos melhores momentos do cinema mudo de contornos humorísticos, fizeram de Ele Foi Mau Para Ela uma obra ímpar. E para isto não contribui tanto o facto de se apresentar ao longo de 250 pranchas sem recurso a qualquer texto (com excepção de algumas tabuletas e outras indicações espaciais), já que, mesmo nos anos 30, eram conhecidos outros exemplos de banda desenhada ‘muda’, com Lynd Ward e Franz Masereel à cabeça, mas antes a vocação do traço para a fluidez e para a relação entre pranchas, bem como o uso frenético da pantomima, quer na exploração de clichés comportamentais das personagens, quer na ilustração de temas e atitudes característicos da época que se sucedeu ao crash da bolsa norte-americana.

Depois de Ele Foi Mau Para Ela, Gross veria a sua popularidade crescer significativamente, com o reconhecimento do público a permitir-lhe transformar-se num dos argumentistas mais reconhecidos do humor hollywoodesco. À banda desenhada na imprensa juntaram-se as colunas de opinião e os programas radiofónicos. E se o trabalho humorístico já se havia confirmado de enorme qualidade desde as primeiras tiras de banda desenhada, o fôlego para sustentar uma história com níveis equilibrados de humor e avanço narrativo num arco temporal muito mais extenso do que aquele de definia as tiras ou os curtos textos cómicos parece ter nascido com este Ele Foi Mau Para Ela.

Sara Figueiredo Costa
(publicado na Ler, nº104, Jul./Agosto 2011)

Workshop de Diários Gráficos com Richard Câmara

O workshop “Percurso urbano com desenho em caderno pelos bairros das Amoreiras – Campo de Ourique”, orientado por Richard Câmara, terá lugar nos próximos dias 29 e 30 de Outubro de 2011, das 10h às 13h e das 15h às 18h. Os participantes são aceites por ordem de inscrição (35€/pessoa, engloba os dois dias), para associados e não associados do MONTEPIO, até ao dia 27 de Outubro de 2011.

Para a inscrição ou esclarecimentos sobre o workshop é favor contactar o Gabinete de Dinamização Associativa | gda@montepio.pt | Tel. 210002417 / 18 / 77, ou contactar o formador (Richard Câmara) em: http://www.richardcamara.blogspot.com/