Recortes: Charles Cros, O Arenque Fumado, Bruaá

Um objecto sem páginas, pelo menos na acepção mais comum do termo, pode tornar-se difícil de enquadrar no espaço dos livros se não se tiver em conta uma herança forte deixada por muitas décadas de criação artística e editorial. Os picture books do séc. XIX, que permitiam múltiplas combinações de modo a formar diferentes personagens, os moving picture books, cuja abertura criava cenários a três dimensões, os pop-ups ou os livros com forma recortada e associada a um elemento central, personagem ou tema, integram essa herança e permitem situar com mais firmeza o livro que a Bruaá editou.

“O Arenque Fumado”, poema de Charles Cros originalmente publicado em 1872, foi admirado e revisitado por artistas tão diversos como André Breton, que o incluiu na Antologia do Humor Negro, ou Edward Gorey, um dos primeiros a ilustrá-lo. O ritmo frenético, as múltiplas possibilidades de significação da personagem central (e única) e o non-sense aliado a uma espécie de felicitação do disparate (ideia reforçada pelos versos finais, “E eu inventei esta história – simples, simples, simples,/ Para enfurecer as pessoas – sérias, sérias, sérias,/ E divertir as crianças – pequenas, pequenas, pequenas.”) contribuíram para o seu sucesso, bem como o facto de ter caído nas boas graças do humorista Coquelin Cadet, que dedicou ao poema uma lista de conselhos sobre a melhor forma de o dizer em voz alta, incluída nesta edição.

O trabalho da Bruaá, exemplar, permitiu que o ilustrador André da Loba criasse um registo gráfico e pictórico tão coincidente com o poema de Cros (e com a herança que este carrega, com surrealistas, ilustradores, humoristas e tudo) que o objecto que daí resulta não destoaria na época em que o poema se publicou pela primeira vez. E isto, dizendo que este livro podia ter sido publicado no século XIX, é um elogio convicto, já que também quer dizer que, tendo saído nessa época, continuaria hoje a ser um objecto cobiçável, actual e excepcional.

Sara Figueiredo Costa
(versão integral do texto publicado no Actual, Expresso, 19 Mar.2011)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s