Apontamentos: Gambuzine #1

Já não é exactamente uma novidade, mas essa é uma das vantagens dos blogs relativamente à imprensa: não termos de sujeitar o que se escreve à ditadura da actualidade acabadinha de chegar às bancas. E neste caso, a coisa vê-se reforçada, porque a publicação de que me ocupo nem sequer passa pelas bancas (se exceptuarmos as bancas de feiras de livros e fanzines, imagino).

gambuzine

Projecto de Teresa Câmara Pestana que animou as lides da banda desenhada e dos fanzines há anos atrás, o Gambuzine regressou agora com uma nova série, anual, com impressão mais cuidada e um considerável aumento no número de páginas, que se mantêm no preto e branco de sempre. E insiste-se no pormenor material porque ele é o grande diferenciador relativamente à primeira série, já que o espírito se mantém: autores de diferentes países, com interesses, traços e programas heterogéneos juntam-se num mesmo momento, numa plataforma comum que os reúne, edita e torna públicos para quem quiser conhecer o seu trabalho.
Numa leitura mais crítica, o resultado é desigual e nem de outro modo poderia ser. Mas essa desigualdade, visível tanto no aspecto técnico de alguns traços como no modo de concretizar e expressar as ideias que se organizaram para um determinado trabalho, acaba por ser uma inevitabilidade em projectos como este, tornando-se mais importante a fruição de um número considerável de trabalhos vindos de autores de vários pontos do globo e com vontades e modos de expressão muito diversos do que a análise pura e dura da individualidade de cada contribuição. Claro que essa individualidade existe, nunca se diluindo por completo no colectivo, mas parece-me que o aspecto mais importante do Gambuzine é o trabalho colectivo, centrado na pessoa de Teresa Câmara Pestana (que também publica trabalhos seus), de dar a ler uma mão cheia de autores unidos por uma certa visão do mundo, desencantada, em muitos casos, mas ainda assim comprometida, pelo menos com o olhar crítico, algumas vezes com confrontos que se percebem políticos ou com propostas mais radicais.

O Gambuzine pode ser adquirido através do e-mail: gambuzine@hotmail.com
E quem passar por Beja este fim de semana, talvez o encontre nas bancas de fanzines.

(SFC)

Advertisements

One response to “Apontamentos: Gambuzine #1

  1. agradeço a divulgação ,o trabalho é mais solitário que colectivo, mas agora tem a ajuda do axel no computas …até 31 de agosto quem se interessar pode enviar bds de pé e em A4 por e-mail ou por correio… juntar minibio … (gostei das figuras magriças da cave que ri …a ver se a autora se desata e manda uns inéditos) -cada participante receberá 4 exemplares
    sim gambuzines estão em beja …postais de viagem tambem , e a crise espero que não apareça por lá a estragar a festa
    bom festival

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s